Transformar o Cronograma em RoadMap em 5 min? Me pergunte como!

Publicado por Cyntia Albernaz em

Com no máximo 5 minutos de leitura, espero poder te mostrar uma forma romantizada de como tenho feito pra tentar mudar a visão de cronograma para roadmap. #pegaavisão


E então, você chega de mansinho com um cronograma clássico feito no Project, você tem todas as atividades bem detalhadas e com data de execução. Apesar de ainda estar montando o time, você me diz que já quer deixar tudo pronto para quando os “recursos” chegarem não haver perda de tempo.

Você me diz que quer “fazer o projeto em ágil”.

Você me diz também que quer usar o JIRA para controlar as atividades do time e para gerar relatório de status para liderança e para área de negócio que te solicitou o projeto.

Eu, praticante em construção da escuta ativa, te ouço por 5 minutos e pergunto: “Mas o que é esse projeto? Me conta um pouco sobre ele?”

A medida que você me descreve o projeto eu vou te interrompendo para entender mais sobre a dor que ele vai resolver, sobre o usuário, sobre o cliente, sobre a arquitetura de solução, sobre o ROI esperado, sobre as pessoas da área de negócio envolvidas, sobre o processo de Discovery desse produto (se é que aconteceu), sobre as métricas de negócio que serão impactas pelo projeto e tudo mais que preciso saber para entender a solução proposta sob um viés de geração de valor para organização.

E mesmo quando eu tenho minhas ressalvas, tento ao máximo não interferir em nada na solução, afinal você me procurou somente para “fazer o projeto em ágil”. (às vezes eu falho miseravelmente nesse ponto, confesso).

Toda essa conversa dura em torno de 40 minutos.

Depois disso peço para você abrir o cronograma, vamos lendo juntos e a cada release planejada eu pergunto “Qual é a entrega? O que o usuário vai ter na mão pra validar aqui?”, porque quero te fazer pensar em entrega e não em atividades.

Junto com o que já sei do seu projeto/ produto, eu te proponho um fatiamento de entregas sob um viés de solução e não de atividades.
Você vai entendendo o sentido do que tô fazendo, vai ficando empolgado e eu continuo.

No final do nosso papo eu te mostro uma planilha excel com macro funcionalidades que podem ser encaixadas num Roadmap (NOW|NEXT|FUTURE) e te peço para chamar a área de negócio pra gente conversar com eles sobre priorização.

What are outcome-based roadmaps? | Inside Design Blog

Então nós apresentamos o contexto pra eles e explicamos o que fizemos, apresentando as macro funcionalidades. Durante a reunião, ajustamos a planilha com base em feedback deles, incluindo, juntando ou excluindo linhas.

Quando temos todas as macro funcionalidades descritas e acordadas, rodamos uma ferramenta básica de priorização explicando sempre que é uma priorização inicial e que a qualquer momento teremos espaço para alterações do que estamos definindo. Montamos juntos o RoadMap e selamos o acordo inicial de entregas, nos comprometendo a termos encontros periódicos para refinar e repriorizar o RoadMap.

Com o RoadMap em mãos eu te digo que agora podemos começar.

Você me olha com gratidão nos olhos e diz: “Perfeito, mas qual é a data de entrega do projeto?”.

*** Essa é uma obra de ficção baseada em fatos diversos vivenciados pela autora 🙂


2 comentários

Luciana Evangelista · 26/11/2020 às 18:52

Eu amei este artigo @Cytia. Parabéns!!!

Alcione Ribeiro · 06/01/2021 às 14:48

Muito bom, Cyntia.

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

%d blogueiros gostam disto: